domingo, 24 de fevereiro de 2013

Será que elas são?

Bom dia!
Já faz um tempo que escrevi um post sobre Crystal Renn perguntando se ela era plus size ou não. Hoje me deparei com uma matéria - alguém postou no twitter - mostrando lindas modelos que o mercado considera plus size e questionando a nomenclatura. Alguns exemplos: A matéria na íntegra está aqui

Robyn Laeley

Laura Wells

Ashley Graham
Que a moda americana plus size encolheu, é um fato. A própria Crystal Renn ficou magrinha. Ela tem todo direito, não é essa a discussão aqui. Voltando, todas essas modelos que vocês estão vendo vestem mais ou menos o tamanho 40 e é isso que me assusta um pouco,de repente o tamanho ficou grande demais pra moda? E que tipo de corpo a moda está buscando? Tamanho 30? Eu não tenho nenhum problema em ser representada pelo tamanho quarenta, desde que a indústria não se esqueça NUNCA e jamais que a gama de tamanhos plus size pode começar no quarenta, mas ela pode ir muito, muito além. E era isso que eu queria dizer com toda essa introdução. Porque não me adianta fazerem roupas ditas plus size e criarem coleções lindas na C&A se elas vão até o tamanho 50. É uma limitação do plus size. A gordinha que vai até a loja se frusta mais uma vez porque de novo, não tinha no seu tamanho, muito embora ela tenha acreditado na premissa de 'tamanhos maiores'. Confesso que sou uma consumidora desconfiadíssima. Exemplo faz anos que não entro na C&A, Riachuelo, Renner e Marisa pra procurar roupa. Eu descobri que a Leader tem uma sessão plus que me satisfaz simplesmente porque é uma sessão consideravelmente grande, eu consigo achar de um tudo. Nem sempre me agrada a modelagem ou o preço, mas eu não posso dizer que eles não tentam e por isso eu meio que fidelizei. Ainda continuo indo na especializada plus size, aquelas que vendem até tamanho grandes mesmo ou mais simplesmente porque lá eu sei que vou achar o meu tamanho, mas infelizmente as lojas são poucas e a variedade dentro delas não satisfaz. Então vocês vejam o dilema da moda: temos a procura, a oferta continua minúscula. Tem muito mais gente fora do padrão procurando roupa do que loja oferecendo - com qualidade né gente - e quando elas oferecem a gente tem que contentar com falta de opção e preço lá em cima. Vocês acham que eu divergi muito do assunto principal? Bom, deixa eu tentar dizer pra vocês a minha lógica: meu medo é que a indústria foque num plus size que não vai atender a maioria gorda, se o padrão vigente me diz que 40 é um tamanho grande, a loja vai começar no 40 e acabar no que, no 50? Eu quero roupa pra quem está à margem do padrão - acontece que eu estou nessa margem - pro 50, pro 52, 54, 56, 58, 60, 62 e por ai vai. Acho lindo o mundo se abrir pro plus size, mas quero ver além de qualquer editorial da Vogue - não me entendam mal eu acho lindo a gente ter chegado na Vogue, mas NÃO É TUDO, sorry - eu não quero ter que achar lindo na verdade termos chegado em lugar nenhum simplesmente porque acho que a mulher gorda não tem que conquistar nada. Não temos que conquistar espaço em mídia, em novela, em moda. O lugar JÁ É, SEMPRE FOI  nosso. A mulher real - seja ela gorda, magra, alta, baixa - já é cadeira cativa neste mundo, afinal somos nós as mulheres reais que sustentamos essa porra de mercado, que geramos os bilhões que são gastos com roupas, sapatos, cosméticos e etc não é mesmo? Então dá licença, eu praticamente já me considero dona do mundo, não tenho que conquistar o que JÁ É MEU. E no meu mundo eu quero roupas pro meu tamanho SEJA ELE QUAL FOR. 

Fui clara?????