sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Só porque falamos em pessoas idiotas...

Bom, no post passado a gente falou do rodeio de gordas e eu fui fazer um comentário no blog da Kalli a respeito da mesma temática quando me lembrei de algo que aconteceu comigo e de uma certa forma me faz entender o que essas meninas do rodeio de gordas estão passando. Aliás, 99% das gordinhas entende né? Porque em algum ponto dessa vida o gordo é chamado "à realidade" (leia: ele é chamado a atenção pelo fato de estar gordo) por causa de sua situação, seja com os amigos na escola, com os familiares, cônjuges ou todos juntos. Mas eu ia contar o que aconteceu comigo. Eu estava no interior daqui do meu estado, passando carnaval com umas amigas da faculdade. No primeiro dia minha amiga passou muito mal, ela teve uma convulsão e teve de passar um dia inteirinho no hospital da cidade e nós, os amigos mais chegados ficamos revezando quem ia ficar com ela no hospital. Quando ela saiu e estava tudo bem a gente foi comemorar pulando o carnaval, claro. Chegando lá, uma outra amiga estava ficando com um rapaz e a turma dele estava por alí. Os rapazes eram estudantes de medicina da Unicamp. Num primeiro momento fomos apresentados à algumas pessoas da turma e ficamos alí, conversando e bebendo. A minha amiga que tinha passado mal pediu licença e foi descansar ficando eu e mais uma amigas alí no meio. Foi quando um dos meninos começou a me dar cabeçadas. Cabeçadas? É, isso mesmo, ele vinha andando na minha direção com o tronco abaixado parecendo um touro pra me dar cabeçada. É CLARO e ÓBVIO que eu não gostei, mas eu realmente demorei muito pra entender a situação. Não bastasse um menino me dando cabeçada logo veio outro e outro e outro. Vejam bem, eu não estava entendendo mas deixei claro que não estava gostando, tentando fazer umas caras de má. Não surtiu efeito e eu indaguei o porquê da brincadeira. Eles apenas riam da minha cara, sem nada me responder, sem nem falar comigo. Aí falei com a minha amiga e ela, já bêbada me disse que isso era porque eles me achavam legal, que devia ser uma demonstração de carinho. Não sei o que me deu mais raiva, eles fazendo ou ela justificando. Num determinado ponto, ela, que também estava incomodada com a situação pediu aos rapazes que parassem, por que a cena era muito idiota: eu, alí em pé curtindo o show e de repente, do nada alguém vem e me dá uma cabeçada. Insólito. Surreal. Vocês acham que os meninos ouviram minha amiga? Claro que não, as cabeçadas continuaram até eu me retirar da lugar e ir chorar bem longe dos idiotas., sim porque a esta altura eu já tinha sacado o fato de que eles queriam era tirar onda com a cara da gorda, quer prato mais cheio pra eles do que ter alguém pra 'zoar' em pleno carnaval? Pra eles eu era a companhia  ideal especialmente porque levei séculos pra esboçar qualquer reação.  Porque se eles estivessem brincando com todo mundo eu até entenderia. Ou se ao menos eles estivesse interagindo comigo, conversando e 'zoando' eu também entenderia. Mas o ato de tirar sarro da minha cara por sí só, não dá né? Mas enfim, eu não quero dar uma de vitimizada, mas me lembrei disso e por algum motivo quis compatilhar com vocês, acho que só assim para explicar minha indignação com essa notícia de hoje. Beijos, Ana Paula.

4 comentários:

Mari disse...

Aninha,
Minha indignação com o que aconteceu foi tanta que abri um parênteses no meu Papel para falar sobre o que senti. Desabafo. Êh mundinho estúpido hein?!
Deixo aqui o link pra vocês e seus leitores:
http://opapelacobreado.blogspot.com/2010/10/rodeios.html
Adoro você! Obrigada por existir!

Negras e Advogadas! disse...

Querida Ana,
Eu tbm já passei por várias situações constrangedoras pelo fato de estar acima do peso. Se as pessoas soubessem o mal que isso causa nas pessoas, talvez fossem mais humanas.
Mas tbm acho que não devemos esperar compreensão, afinal o ser humano é falho por natureza.
Devemos buscar a força divina para nos encher de paz e auto estima.
Um beijo

Litha disse...

Se fosse comigo eu quebrava a cara dos infelizes... Bando de imbecil, gente assim não merece o mínimo respeito, pq nem entendem o conceito disso

Mara Carolyne disse...

Sempre fui mto agressiva, e isso não é legal não. Mas em algumas situações, agente pode até achar o contrário, já me dei mto mal com essa minha 'mania', mas (principalmente) em carnavais qnd estava solteira, e começava a querer acontecer algo parecido com esse seu acontecido, (desculpa o termo) mas descia o kacete nos idiotas, indo parar na delegacia já... Mas é algo que de tão absurdo se torna inenarrável! Lamentável! =/
Saudades de vc Aninha... bjus