quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Você dá o que espera receber?

Por um motivo qualquer desses da vida, hoje eu me peguei pensando que muita gente nesse mundo exige coisas que elas mesmos não são capazes de dar. Respeito é uma delas. Você diz que merece respeito, enumera mil razões e se cerca de fatores para justificar o porquê de você merecer aquele respeito. Mas na hora de ser igualmente respeitoso com alguém você faz de conta que não é com você, você simplesmente finge que não tá vendo nada demais ou você diz pra sí mesmo que não PRECISA respeitar alguém. Isso já aconteceu com vocês? Comigo já. Já viví bem próxima de uma pessoa que acreditava que respeito era um bem adquirido e só aqueles que tinham $$$ suficiente podiam comprar o respeito. Logo, respeito era algo destinado apenas a quem tinha um trabalho, um salário ou uma conta milionária. Coitadinho, penso eu, um dia a vida ensina. Outra coisa que vejo acontecer é uma pessoa se achar vítima de um preconceito e no final das contas cometer um preconceito igual ou maior. Eu exemplifico: suponhamos que você tenha aquela amiga que tem uma pinta azul no meio da cara (alow, isso é um exemplo muito doido, mas é pra não ferir orgulhos) e todo mundo vive atormentando a pobre coitada por causa da pinta azul. Você pensa: "ela não merece". Mas ai, um dia você vê a amiga da pinta azul no meio da cara atormentando a menina da pinta roxa na orelha e pensa: "ops, ela faz aquilo que não gosta que façam com ela". Isso é incoerência? Alguém pode argumentar que ela é um produto daquele meio, se é atormentada vai atormentar, tá eu entendo, mas ainda sim a máxima pra mim sempre prevalece: não faça com os outros o que não gostariam que fizessem com você. Se você exige respeito, seja respeitoso com as pessoas, sem nenhuma distinção de suas características, porque nunca se sabe quando uma das suas características pode ser apontada como justificativa ao não-respeito. Se você exige educação das pessoas, seja educado e se você não gosta que discriminem você, então, não discrimine ninguém, afinal de contas a gente não gosta de sentir na pele nenhum dos nefastos efeitos do preconceito de alguém. Enfim, o que eu quero dizer é: coerência sempre, gente. A gente pode agir de uma determinada forma mas sempre tem que lembrar de esperar dos outros a mesma resposta. Nem mais, nem menos, porque somos todos iguais. E ai alguém pode perguntar: "Tá, eu fui legal com a pessoa, fui educado, gentil e não fui preconceituoso. Mas o outro nem ligou, ele foi chato, mal-educado e preconceituoso comigo, o que eu ganhei com isso"? É uma dúvida justíssima. Na minha humilde opinião se você faz e o outro não, pelo menos você tem a certeza de que fez a sua parte e se o outro não fez a dele... bem, esperamos que ele não tenha nenhuma pinta azul no meio da cara. 

Beijos, Ana Paula. 

4 comentários:

Irmas GG disse...

Anaaaa, que texto maravilhoso, o respeito é uma coisa que está em faltaaa nos dias de hoje.
Beijos

Renata Cotta disse...

Oi Ana! Você tem toda razão. Respeito é bom e todo mundo gosta. Eu inclusive chamo a atenção das pessoas que estão próximas a mim quando cometem algum ato de preconceito ou algo do tipo, porque se eles agem assim com quem nem conhecem direito, imagina comigo? Ou mesmo com pessoas da própria família? Respeito é algo que deve ser ensinado desde a infância. Mas infelizmente às vezes não é o que acontece. Na minha vida ultimamente tenho me deparado com pessoas mal educadas, cegas por causa do dinheiro, que não se importam com nada e ninguém. É triste, mas acontece. Nada do que vá tirar o brilho que a vida tem! eu sou educada e ponto! Eu sou uma pessoa de respeito e pronto! Beijos Ana! Adorei o texto!! Aliás, adoro seu Blog, né?!

Papu Morgado disse...

Minha tese de mestrado foi sobre educação em direitos humanos e como os professores que as vezes se dizem educadores, no melhor sentido da palavra, muitas vezes são super incorentes, tipo dizem que temos que respeitar o colega e detonam um aluno, outro professor etc...
Aí entrevistei vários que usavam educação em direitos humanos com eixo transversal (de fato) e eles disseram que o mais importante é a coerência. Bjocas Lindona

Dona Kablam disse...

Adorei o texto.

Mas poxa...é algo que querendo ou não, às vezes acabamos fazendo.
Quem nunca respondeu algo do tipo quando "Antes ser gorda do que feia. Com regime eu fico magra, mas feia só com cirurgia plástica" quando alvo de chacota e usada como ponto de referência de algum lugar.

Normalmente sou uma pessoa educada e respeito o próximo, mas quando o próximo pisa legal na bola confesso que por mais que não diga as palavras penso absurdos sobre a pessoa, e se provocada numa discussão coloco meus pontos educadamente mas que querendo ou não acabam ferindo.
Incoerente, eu sei. Errada, com certeza. Concordo em gênero, número e grau com o que você colocou no texto. Não ataco ninguém com comentários ofensivos e desnecessários, mas ainda não cheguei ao ponto de não retrucar quando fazem o mesmo comigo gratuitamente. Apesar de ter melhorado muito nos últimos anos, taí algo que ainda não consegui realizar totalmente.

Gostei do seu blog ^^ Vou seguir
Beijo