sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Dieta, dieta, dieta!

Não sei se já aconteceu com vocês, mas comigo essa cena era super comum. Estou eu num lugar qualquer, que pode ser o salão de beleza, o ponto de ônibus, atravessando uma rua e sempre aparece alguém. Geralmente esse alguém faz algum contato visual e depois solta uma pérola do tipo: "Olha você não me conhece, mas eu vim te falar que eu ou Fulano de tal perdeu 394385757 kilos fazendo a dieta X. Porque você não tenta"? Se a conversa parasse por ai, tudo bem, você respondia qualquer coisa e sairia certo? Mas quase sempre a pessoa quer explicar a dieta X e falar da vida do Fulano, como ele era infeliz quando era gordo e tudo que ele queria era emagrecer, daí apareceu essa dieta X e ele resolveu todos os seus problemas. Qualquer semelhança com um comercial dos produtos Tabajara não é mera coincidência. Veja bem, na maioria dos casos a intenção deste interlocutor é boa mas pela cartilha dele reza a seguinte fórmula: 

                        gordura = infelicidade / magreza = felicidade


Olha, se existem gordos infelizes eu creio que existem magros infelizes, então essas máximas para mim valem pouca coisa. Já falei um bilhão de vezes e acredito verdadeiramente que a minha felicidade independe dessas coisas de peso. Minha amiga diz que a associação gordo X infeliz está no inscosciente coletivo (o que quer que seja isso) porque existe todo um padrão associado com a magreza entre eles eu posso dizer: a beleza, a saúde e a felicidade. Então logo as pessoas acreditam que em comparação com o gordo todo magro é bonito, saudável e feliz. Espero que todos os magros que vocês conheçam seja assim, porque não desejo nada de mal pra eles, mas eu conheço gente magra que é doente e infeliz. Mas saí a sair cutucando os magrinhos pelo braço pra perguntar: "Oi, cê quer engordar? Faz isso, isso e isso" é um pouco demais, mesmo que você seja uma pessoa bem-intencionada. Daí eu sou abordada por alguém com a melhor das intenções porque a pessoa acredita que está me dando a fórmula da felicidade.  O que me incomoda é que muitas dessas pessoas nem me conhecem, não sabem absolutamente nada da minha vida e nem da minha suposta infelicidade. tudo o que elas sabem está baseado num pré-julgamento, fruto desse tão chamado padrão de beleza. E sim, mesmo com boas intenções essas pessoas insistem às vezes ou nos constragem com perguntas que eu não tenho a menor vontade de responder. Eu sou educada sempre que sou abordada por uma pessoa assim, respondo e dou atenção porque não vou sair fazendo falta de educação com as pessoas. Não fui criada assim. Mas ainda sim, o melhor exemplo que tenho é de um dia que minha família estava discutindo o meu peso, assim, como se eu não estivesse alí e cada um apontava melhores direções para o meu futuro. Num dado momento meu padrinho disse despretensiosamente. Porque vocês não a deixam como ela está? Quando e se ela quiser ela vai perder peso. Cuidem vocês de suas vidas. Desde esse dia as pessoas sempre pensaram duas vezes antes de me incomodar com suas receitas e dietas malucas pra perder peso. Eu acredito sim, que você possa fazer uma boa indicação, uma recomendação, se perguntado. Ninguém precisa achar que eu estou o tempo todo pensando em perder peso porque por incrível que pareça a vida do gordo, como acredito que na vida do magro também não é regida pela balança 24 horas do dia.

4 comentários:

lina disse...

Mas estou contigo e não abro, oooohh pessoal de mente fechada. Dia destes me disseram que meu rosto é bonito e perguntaram por que não faço redução de estômago.. caminhei de um lado da cidade ate o outro jurando que nao queria mais ser gorda rsrs eta povo!! Mas sou feliz comigo mesma. :)
jeito é paciência, nao é?

Papu Morgado disse...

Aninha, que texto mais lindo e direto! Vou bem indicar como "must read" rsrsrs bjos

Mari disse...

Outro dia no trabalho, acharam uma menina de um anúncio em uma revista parecida com uma das alunas... daí, comentaram com a secretária e ela disse: Noooooossssaaaa!!!! Coitadinhaaa da fulana! Essa menina é gorda!... sorte que eu estava por perto e falei: "Olha, você não precisa ter PENA de uma pessoa por ela ser gorda! Tem muita gente que é feliz assim! Eu, por exemplo. Pra completar, o namorado da secretária(que estava do lado)ainda falou: "Tá vendo!Não é bem assim..." e olha que o cara é hiper fitness instrutor de academia!
Ou seja, preconceitos são coisas feias e antiquadas!
Beijinho Ana!

anasamyn disse...

E verdade, nos temos q nos valorizar sendo magras ou gordas, pq sempre se esta gorda demais ou magra demais, na visao do povo n e?
Eu me cuido pela saude, mas sempre fui "farta, com excesso de gostosura!"