terça-feira, 8 de junho de 2010

Crianças obesas: mais chances de sofrer com o bullying.

O site da CNN publicou no início do mês passado um estudo com crianças obesas e acima do peso e descobriu que essas crianças tem uma tendência maior a sofrer com o bullying - prática de importunar pessoas, especialmente na escola, verbal ou fisicamente. As crianças entre o terceiro e o sexto ano escolar que estão obesas tem até 65% a mais de chance de sofrer com o bullying enquanto as que estão acima do peso tem 13% a mais, mesmo que, a pesquisa revela, estas crianças tenham fatores que costumam desencorajar os importunadores, como ter boas habilidades sociais ou possuir boas notas. Os pesquisadores no entanto demonstram cautela ao apontar a obesidade como única causa do bullying. "No fundo, sempre ficou a questão se havia outro fator envolvido com o bullying e a obesidade" diz o Dr. Mathew Davis, que não está envolvido com a pesquisa. Sylvia Rimm, professora num hospital em Cleveland sugere que a autoestima de crianças acima do peso podem colocá-las como alvo - ou não - dos seus algozes. "Crianças que consideram a si mesmo como gordas não só eram importunadas como indicavam mais solidão, se viam como causadores de problemas e se retratavam como tristes, medrosas e covardes", ela diz "Eles realmente tem uma luta grande pela frente". Mathew Davis completa: "As crianças aprendem com os adultos, então precisamos ter em mente como estamos dando o modelo de respeito pelas múltiplas escolhas dos outros, incluindo o peso. Imagine quantos sinais as crianças não vêem sobre o peso apenas escutando adultos ou vendo os comerciais na TV? As mensagens estão por toda a parte dizendo que você tem que controlar seu peso ou ser de um peso diferente do que você é agora."

Concluindo (e isso é uma nota da blogueira que vos escreve): pais, vocês são muito responsáveis pela educação dos filhos de vocês então sejam um exemplo e um bom exemplo para os pequenos. Só assim a gente consegue a tolerância necessária para que nenhuma criança sofra esse tipo de abuso. Mas não só pela tolerância, é tarefa dos pais também ensinar seu filho a se amar como é, então além de tolerantes teremos jovens e adultos mais confiantes. Tenho certeza que qualquer que seja o resultado disso, ele será melhor e mais motivador do que essa pesquisa. 

Beijos, Ana Paula.

Um comentário:

Marcos disse...

Olá,

Meu nome é Marcos, trabalho na Ketchum Estratégia, uma agência de relações públicas. Tudo bem?

Tenho uma sugestão, que pode valer um post pro seu blog. Se puder, entre em contato comigo: marcos.paulo@ketchum.com.br .

Obrigado!