domingo, 29 de novembro de 2009

"Pelo menos você não vai ficar gorda"


Ok, o mundo começa a olhar os gordos com outros olhos, nós falamos de aceitação, de beleza real, nós combatemos o preconceito, nós exigimos os nossos direitos e nos descobrimos lindos. O gordo é lindo, certo? Aí vem a Oprah - que diga-se de passagem já foi gorda - e faz uma declaração no mínimo infeliz. Eu explico: nossa querida Oprah entrevistava uma mulher vítima de um ataque de chipanzé no mês de fevereiro. Charla Nash, 65 anos estava visitando uma amiga quando foi atacada pelo animal de 100 quilos. Charla teve o nariz, os lábios e as pálbebras arrancadas pelo chipanzé - que só parou quando foi morto a tiros pela polícia - e perdeu os olhos por causa da infecção e também uma das mãos. Os danos foram tantos e tão agressivos que Charla agora é candidata ao transplante facial. E duas semanas atrás, Charla foi entrevistada por Oprah, contando de sua vida após o ataque, inclusive que ela se alimenta através de um canudo ouvindo da apresentadora a pérola: "pelo menos você não vai ficar gorda"! Claro, cega e desfigurada pode. Gorda, nem moooorta né Oprah? E gente, eu simplesmente adoro a Oprah, gosto mesmo, acho ela simpatissíssima, mas a declaração foi infeliz, infeliz mesmo, para não dizer pior. Isso mostra o quanto ser gordo está terrivelmente ligado com maus estereótipos: ser gordo é ruim. Já reparou como se você chamar uma pessoa de gorda é pior do que chamá-la de burra, idiota entre outras coisas? Outro dia numa conversa com uma amiga ela se referiu a mim como "uma moça assim, acima do peso" e eu disse: "gorda né Fulana" ao que ela respondeu: "não, eu não quero ofender você, não preciso te chamar de gorda" como se gorda fosse ofensivo, como se fosse ruim, a pior coisa do mundo. Poxa, Dona Oprah, pensa melhor antes de fazer um comentário desses. Mesmo de longe como eu, tem muita gordinha que te admira muito e que fica chateada com tanto desdém.

sábado, 28 de novembro de 2009

Pessoas reais

Já não é de hoje que nos deparamos com o termo "mulheres reais". Eu, particularmente ví este termo sendo associado várias vezes com mulheres plus size. Mas eu acho que ser uma mulher real está acima de qualquer padrão. Então quem seria uma mulher real? Para mim o conceito de mulher real é bem amplo, são todas as pessoas que são elas mesmas. Sem photoshop, sem maquiagem, sem edição de imagem, sem dublês de corpo. O que não quer dizer que mulheres reais não usam maquiagem ou que as mulheres que usam são menos reais. O que eu quero dizer que mulheres reais são aquelas você vê na fila do banco, no ônibus, na padaria, na saída de uma boate. Mulheres reais são todas aquelas que você não vê numa capa de revista - porque mesmo as capas de revista, depois da sessão de fotos, voltam a ser mulheres reais, com talvez uma espinha no queixo, pontas duplas ou pernas flácidas. São as mulheres que não estão dentro do tão temido padrão de beleza. Além de tudo, mulheres reais vivem aquém do padrão. Elas vivem bem sem serem capas de revista, sem estarem entre as 10 mais sexies ou bem vestidas do mundo. E no final das contas, nem estamos falando apenas em mulheres reais. Estamos falando em homens reais também e nem tão a fundo assim de pessoas reais. Isso! Era aonde eu queria chegar, nas pessoas reais. Pessoas que não parecem estar num comercial de pasta de dente para serem felizes, pessoas que sabem que é mais importante a maneira como você olha os outros do que a maneira como é visto. Beleza é um conceito altamente relativo, conectado com as opiniões e gostos pessoais de cada indivíduo. E se cada pessoa tem um gosto diversificado como padrões de beleza podem ser considerados algo tão seriamente universal? E por massacramos o nosso próximo se ele não se enquadra nesse padrão? Afinal, quantos de nós pertecem verdadeiramente a esse padrão? Pensem nisso.

Beijocas.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Dance your ass off – Reality show de dança para gordinhos


Vocês lembram do “Dança dos Famosos”? Aquele quadro que reunia celebridades para números musicais? Agora pense num concurso de dança para gordinhos, gostou da idéia? Pois um canal de TV chamado Oxigênio pensou na idéia e criou em junho passado uma competição para gordinhos chamada “Dance Your Ass Off” (vou traduzir artisticamente falando como Balance o Popozão, por falta de idéias melhores). Mistura de “Dança dos Famosos” com “O grande perdedor”, neste reality show os participantes precisam aprender suas coreografias para apresentá-las a um júri e ainda se pesarem para ver o quanto perderam na semana. A nota é dada combinando o peso perdido e a performance apresentada. Os participantes contam com todo o apoio da produção do programa: eles tem instrutores de dança, tem designers de roupas e médicos para garantir que nada saia errado com a saúde. A seguir, trechos de uma entrevista feita com uma das participantes, Tara, pelo blog The Ride e traduzida por mim:

The Ride: Oi Tara, antes de começarmos, eu tenho uma confissão: quando eu ouví sobre o programa pela primeira vez eu pensei: “Não tenho certeza de que vai dar certo”. Eu acho que eu temia que o pessoal fosse exposto ao ridículo. Mas, para minha surpresa foi mais uma celebração. O que você pensou quando soube do programa?

Tara: Eu pensei: que conceito maravilhoso, misturar dança e dieta! Estou dentro!

The Ride: Foi muito difícil a decisão de se candidatar?

Tara: Não foi nada difícil. Eu sabia é claro que tudo que eu tinha (pneuzinhos e tudo mais) seria mostrado ao mundo, no entanto, eu acho que para se obter grandes resultados você tem que fazer algo grandioso para alcançá-los. Esse programa era pra mim [risos].

The Ride: Bom, eu tenho que dizer: vocês podem dançar mesmo! Estão deixando os magrinhos com vergonha. Vocês acham que estão acabando com os mitos/falsos conceitos sobre pessoas maiores (ou gordos se você quiser usar o termo)?

Tara: Eu acredito que nós todos mostramos às pessoas que não é porque você está acima do peso que não pode se mexer! O fator principal é tomar a sua decisão e se mexer. Isso já representa metade da batalha.

A seguir, um vídeo de uma apresentação de Tara:

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Mundo GG Recomenda

Matéria sobre a peça Fat Bitch, de Erica Watson no blog Mulherão (fui eu que escreví hihih).
Beijocas!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

No escurinho do cinema...


Adoro cinema de um modo geral, mas o que eu gosto mesmo é de ir ao cinema. Nada substitui a magia daquela sala escura, a tela enorme, aquele som que faz você pensar que está vivenciando aquelas aventuras ou dramas e é claro ter à mão um balde de pipoca, um refrigerante geladinho e quem sabe até um chocolate. Pois é, ir ao cinema me dá prazer, do ato de comprar o ingresso até os créditos finais. Mas eu – e muita gente por ai – tem um problema quando resolve ir ao cinema: os assentos não são lá muito confortáveis. Pequenos e de proporções que não comportam confortavelmente corpos maiores. E ninguém quer passar uma hora e meia ou duas sentado como se estivesse numa lata de sardinha, quer? Pois agora eu acho que esses problemas vão acabar porque a CDH (Comissão de Direitos Humanos) do Senado aprovou no mês passado uma lei que obriga cinemas, teatros, estádios esportivos e salas de auditórios a criarem assentos para obesos e também a criarem acesso para deficientes. A lei obriga estes estabelecimentos a dedicarem pelo menos 2% de seus acentos para os obesos e deficientes. Os estabelicimentos que a descumprirem deverão pagar multa de 2% de seu faturamento mensal. A lei ainda deve passar por uma segunda aprovação antes de ser sancionada pelo presidente Lula, mas para mim, já temos aí um bom motivo para comemorar, numa sala de cinema, com pipoca e muita diversão!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

BBW - uma sigla, muitas perguntas.

Pessoal, bom dia!
Hoje eu estava fazendo uma pesquisa para responder à pergunta que me fizeram ontem: o que é BBW? Tenho que confessar que eu apenas fazia idéia do que a sigla representava então eu tive mesmo que dar uma pesquisada mais a fundo. No entanto, fiquei um pouco surpresa com a pouca quantidade de informação mas com o extenso volume de sites pornográficos que aparecem se você digitar BBW na sua caixa de pesquisa. De acordo com a Wikipedia, BBW são as iniciais de "Big Beautiful Woman", ou seja, mulheres gordas e bonitas ou atraentes. Essas mulheres estão se tornando cada vez mais "objeto" de desejo de milhares de homens ao redor do mundo. Os admiradores de mulheres com esse tipo físico se chamam Fat Admirer ou simplesmente "FA", ou seja, admiradores de gordas. Munida de uma definição mais ou menos aceitável eu fui à caça de informações mais apuradas, mas o que encontrei mesmo foram páginas e mais páginas pessoais de mulheres que se entilulam BBW ou anúncios de vídeos pornôs gratuitos de garotas BBW. Confesso que fiquei um pouco desapontada, imaginei que BBw fosse mais um movimento que um fetiche. Não tenho nada contra fetiche com gordas, nem com nenhum tipo de pessoa, mas achei que o movimento tinha potencial para ser mais, sabem como é. Mas eu posso estar equivocada e minha pesquisa pode estar malfeita. Se alguém tiver mais informações relevantes sobre BBW será que poderiam mandar um email pro blog ou mesmo explicar nos comentários? O Mundo GG agradece! Beijocas!