quarta-feira, 27 de maio de 2009

Comentário

Eu já ví a matéria em outros blogs, então nem vou escrever isso aqui, apenas comentar que fiquei muito feliz de ver a Flúvia Larcerda em ensaio sexy para a revista VIP (a revista ainda não saiu) porque afinal de contas, a revista é bem conhecida por mostrar belas mulheres e é claro que uma hora alguém tinha que enxergar que para ser bonita não precisa de balança né? A Flúvia é linda e merece muito reconhecimento e sucesso! Enfim, fiquei bem feliz com a notícia! Beijos e abraços.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Lingerie

Mês de maio, mês das noivas. Junho, mês dos namorados, então a procura por lingerie sempre aumenta. E eu pergunto queridas amigas (e amigos) vocês conseguem encontrar lingerie no tamanho de vocês? De acordo com uma pesquisa feita pela marca Duloren, no mês de maio a compra de lingeries G e GG aumentou, devido ao mês das noivas e à procura de algo confortável para vestir. No mês de junho a procura é por peças sensuais, então os modelos menores figuram no topo da lista. De qualquer maneira, eu fui à caça de bons sites de lingerie para tamanhos maiores e eis o que encontrei: Na minha opinião, o melhor site foi o da Rechonchée o único problema é que as peças são as mesmas desde que eu entro lá há bastante tempo e as coisas não tem o preço, então acredito que o forte da loja não sejam as vendas online. No entanto a lingerie é de extremo bom gosto. No GG Sexy Lingerie o site é mais atualizado, tem promoções bem bacanas e a oferta é bem variada. As peças são quase em sua totalidade de bastante bom gosto (embora tenha uma ou outra que eu não tenha gostado). Outro site que eu gostei bastante é o Camomilah achei as lingeries bonitas, mas os preços são bem salgadinhos hein? Agora gente eu não comprei em nenhum desses sites ainda (achei uma calcinha de 17 reais da GG Sexy que preciiiiso comprar rsrs) mas tem uma marca que eu sempre compro e sempre acho pro meu tamanho, que é a Demillus pelo menos metade das minhas lingeries é de lá e eu nunca me arrependo das compras! O site da Duloren também oferece alguma variedade em peças GG, mas não são todas e o site não tem preço. Enfim meninas, espero que tenha ajudado em alguma coisa na busca de vocês. Contem-me se vocês encontraram lingerie em algum outro lugar ok? Mil beijos!

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Autoaceitação


O que é a autoaceitação (escreve tudo junto mesmo?)? O próprio nome já explica. Autoaceitação é quando você se aceita exatamente como é. Seus erros, defeitos e falhas, tudo faz parte do pacote de quem se autoaceita. Mas porque eu estou falando disso aqui? Porque acredito que muitas gordas e gordinhas tem problemas em se aceitarem como são. Eu levei muito tempo para me aceitar como sou e baseado nessa experiência eu vim aqui escrever. Ainda encontro alguma resistência, mas tenho lido coisas bastante interessantes a respeito e acho que com a maturidade você aprende a gostar mais de você pelo que você é, até porque você passa a se ver mais com os seus olhos e menos com os olhos dos outros. Na famigerada adolescência, passamos muito tempo nos vendo com os olhos dos outros. A gente então passa mais tempo "dando bola" ao que os outros dizem do que prestando atenção em nós mesmos. Não é uma crítica, é uma fase que eu sei que a maioria das pessoas passa.

- Pausa para um PS gigante: é claro que eu não posso generalizar 100%. Tem gente que já nasceu sabido e que nunca teve problema nenhum de autoaceitação. Eu tive minha infância, adolescência e só comecei dar um jeito nisso lá na fase mais adulta, mas ainda estou em processo. Pausa do PS gigante finda -

E porque a autoceitação é tão importante? Porque ela contribui diretamente para a nossa autoestima. Quando mais você se aceita como é, mais se gosta mesmo aonde teoricamente você tem defeitos e falhas. Uma coisa passa pela outra. Quem se ama se aceita e quem se aceita se ama - mesmo que tenha que fazer alguma reforma íntima - e quem se ama é feliz, portanto, vamos refletir seriamente sobre como lidamos com as nossas características - as boas e as ruins - vamos refletir em como nos tratamos no dia a dia, porque daí vem a chave para uma vida mais feliz, podem ter certeza. Nesse processo vale se reconhecer como pessoa e como responsável pelos erros e acertos. É claro que outra característica inerente do ser humano é querer mudar, evoluir e melhorar aqueles pontos que ele reconhecer não ser tão bons. Não estou falando em não mudar. Mas estou falando em se amar como você é. Por exemplo: eu sinceramente não gosto da minha barriga, não tenho problemas com gordura em nenhuma parte do meu corpo, exceto o abdômen. Eu me amo como sou, mesmo tendo uma barriguinha saliente. Isso não impede que eu queira eliminar a barriga, que eu faça umas abdominais por aí. Mas eu não sou infeliz pela barriga, não mais. Entendem? Quem se aceita entende que tem seus problemas, quer melhorá-los, mas não se amarga por isso. Porque com esse barrigão eu desfilo por aí, eu vou ao clube e não deixo de fazer absolutamente nada. Ele faz parte de mim. Se um dia eu perder melhor pra mim, mas se eu for barriguda o resto da minha vida não morrerei por isso. Não sei se me fiz entender 100%¨essa coisa de autoaceitação é nova inclusive para mim então enquanto eu venho aqui partilhar isso com vocês eu estou na verdade fazendo a minha própria reflexão. De qualquer maneira gostaria de ouvir o que vocês pensam a esse respeito e para aquelas que se interessaram pelo assunto, deixarei o link de uma matéria bem legal que eu lí aqui na internet sobre autoaceitação. O link é esse ó (basta clicar no ó, heheh). Um beijo a todos e se amem muito!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Selo dos Desejos - ganhei!




Ganhei da Milly o Selo dos desejos e como é de praxe temos de fazer 8 pedidos e indicar oito pessoas. Antes disso deixa eu agradecer a Milly pela lembrança do meu humilde bloguinho, valeu demais! Beijos a todos. Ai vão meus oito desejos:

1 - ser feliz
2 - que meus amigos e familiares também sejam felizes
3 - ter saúde
4 - ter uma vida confortável
5 - ter a minha família, poder criar meus filhos da maneira que fui criada
6 - poder viajar e conhecer o mundo
7 - adquirir mais conhecimentos, fazer mais um ou dois cursos superiores e com isso poder ajudar mais as pessoas que necessitam
8 - poder comprar todos os sapatos, bolsas e roupas que eu quisesse (tinha que ter um mais "mundano") né?

Meus oito indicados:

1 - Confissões de uma Gordinha
2 - Em busca de uma nova vida
3 - Curlveliciously Me
4 - Bigg Estilo
5 - Mulherão
6 - Extra Grande
7 - Efeito Adverso
8 - Incertezas cruéis e maldosas

Volto mais pro final de semana pessoal, beijos.
PS: Gostaram do layout novo?

sexta-feira, 1 de maio de 2009


O que fazer quando são os pequeninos que sofrem discriminação por causa do peso? Peguei-me pensando na pergunta feita por uma colega em uma comunidade do Orkut. Conta ela que a filha está alguns quilos acima do peso e anda sofrendo com os coleguinhas de escola e do prédio aonde mora. A mãe, pede uma opinião à outras meninas gordinhas. Eu pensei bastante no assunto e embora tenha formulado a minha opinião a ela de forma direta vim aqui compartilhar o que penso, caso mais alguém aí precise de uma luz sobre o tema. Acredito que não dá para a mãe bater de porta em porta e pedir as outras crianças que parem com a gozação, aliás, isso só a aumentaria. Como infelizmente não podemos enfiar na cabeça das pessoas noções de respeito ao próximo como se fosse um chapéu, acredito que a mãe pode trabalhar a questão em sua própria filha. Falando por mim quando tinha 6, 8 anos e já era gorda e já ouvia coisas como "baleia" e daí para cima eu gostaria muito que alguém tivesse me dito que eu era linda do jeitinho que eu era, que cada pessoa pode ser como quiser e que ser gorda não era o fim do mundo. Acho que teria crescido mais confiante e certamente teria tido menos problemas com a minha autoimagem. Bom, eu acredito que teria sido assim. No entanto meus pais nunca se ligaram muito no problema e eu também nunca reclamei em casa de nenhuma agressão sofrida, eu achava infantil demais envolver minha mãe nessas coisas. Mas voltando à minha amiga, acredito que nesse caso temos de reforçar a autoestima da criança, mas é claro que temos que de fato acreditar naquilo que dizemos. Crianças sabem quando não estamos sendo sinceros e elas observam muito as nossas atitudes e palavras, Portanto não adianta dizer que ela pode se aceitar como é se você critica a aparência de todo mundo e em especial dos gordos. É claro que não precisa fazer nenhuma apologia à obesidade, basta apenas fazer ela entender que existe vida na diversidade, que ela não precisa ser magra para ser feliz, mas que se quiser ser magra também é uma escolha dela e que ela tem o seu apoio. Não sou especialista nem psicóloga, mas acho que este é o caminho mais acertado, quando você mostra ao seu filho que ao contrário das revistas e anúncios de TV nem todo mundo precise ser extremamente magro para ser feliz e aceito e que existe beleza em todas as pessoas, basta que tenhamos olhos para ver.