terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Futuras mamães barradas em hospital

Em Somerset na Inglaterra as futuras mamãe com IMC (índice de massa corpórea) superior a 34 não são admitidas no Weston General Hospital. Ao invés disso as mamães precisam andar mais de 30 kilômetros por um hospital que as atenda que é o Saint Michael's Hospital em Bristol.Um funcionário do hospital explicou que o mesmo não está equipado para lidar com partos complicados: "Nossa preocupação principal é com a segurança das mães que aqui tem seus bebês. Mães com IMC alto tem riscos mais altos de sangramento e de precisarem de cesariana  ou ainda complicações como o ombro do bebê ficar preso no osso púbico." Ele acrescentou: "Nosso centro é popular porque muitas mãe não querem seus partos em centros de alta tecnologia." Qual o problema nisso? Como disse a autora de The Well Rounded Mama: Nem todas as mulheres de peso tem uma gravidez com complicações, mas o hospital assume que se seu IMC é maior do que 34 você certamente terá problemas. Ninguém quer negar que uma gravidez com uma mulher acima do peso possa ter suas complicações, mas muitas mulheres não tem absolutamente nada! Assim como na história da faculdade que excluiu alunos pelo IMC, agora hospitais estão rejeitando pacientes pelo mesmo IMC. Mas vem cá, o IMC é a única medida de saúde agora? Ninguém está interessado em fazer uma investigação mais minuciosa, algo como alguns exames - não entendo nada de medicina, mas tem de haver - para saber se aquele parto é de risco? Quero dizer e se amanhã os médicos resolvem não tratar alguém pelo peso? Como é que vamos fazer? Vamos simplesmente deixar acontecer? E como a blogueira de Well Rounded Mama finalizou: Meu peso não dá a você o direito de fazer escolhas por mim ou ditar que médico eu posso ter ou que tipo de parto eu estou autorizada a ter. Este é o meu corpo e eu EU decido.


Fontes: Telegraph e Well Rounded Mama .

Beijocas, Ana Paula.

2 comentários:

Litha disse...

Que absurdo! Pelo amor de deus, estou ficando muito chocada com esse tipo de medida. E com as pessoas de IMC abaixo de 20, eles têm esse tipo de discriminação?

As pessoas com IMC acima de 34 agora vão ser impedidas de viver? De se formar na universidade? De ter filhos? De casar?


Que merda de mundo é esse onde a liberdade para ser o que quiser está sendo podada por todos os lados?

Marcela disse...

oi companheira, é complicado isso né, se o hospital fos particular eles ditam as regras né, não entra a questão de direitos e sim de legalização. beijos