domingo, 18 de outubro de 2009

Vocês sabem quem são Ana e Mia?

E então pessoal, vocês conhecem a Ana e a Mia? Não, ao contrário do que muito gente pode pensar Ana e Mia não são garotas. Ana e Mia são os apelidos dados a dois transtornos alimentares que se tornam cada vez mais comuns: anorexia e bulimia. Se vocês buscarem Internet afora vão descobrir uma infinidade de blogs que compartilham e promovem pensamentes anoréxicos e bulímicos. Eu confesso ter ficado surpresa com a quantidade de blogs que encontrei, não imaginei que tanta gente assim passasse por coisas como fazer dietas de 100 calorias diárias e simplesmente odiar o próprio corpo. Anorexia e bulimia já não são novidades, recentemente tivemos a morte de uma modelo (Ana Carolina Reston de 21 anos) e não tão recentemente da cantora Karen Carpenter. Não pensem que eu vim aqui levantar a bandeira do gordo ou nem criticar quem por acaso simpatize com a anorexia ou a bulimia. Não tem nada a ver com a questão do peso. Tem a ver com a agressão ao corpo e certamente à mente. Pelos blogs que eu andei lendo as meninas - bem, em sua maioria são meninas, embora eu não duvide que tenham meninos vivendo neste mesmo estilo - fazem dietas altamente restritivas, de comer 100 calorias (são as LF ou low food que quer dizer pouca comida) ou até o jejum total (NF de no food ou comida nenhuma). Mas talvez o que tenha me deixado mais chocada é a maneira como elas compartilham e promovem essas informações. Orientações como: "Quando sentires dores de estômago da fome, curve-se e encolha a barriga", "Observa as outras pessoas, especialmente gordos (as), quando estiverem a comer, e sinta-se superior por não estar comendo nada e ter seu corpo limpo" ou "Obesidade é horrível e gordos são inúteis lembre-se disso" são coisas que me deixam sim boquiaberta porque é altamente radical. E eu sei que a Internet é um campo livre, qualquer um pode discutir suas idéias, mas será que essas pessoas tem consciência de agressão que estão inflingindo aos seus corpos? Alguém ai pode argumentar que isso vindo de uma gorda que teoricamente inflige maus cuidados ao seu corpo comendo muito é no mínimo irônico. Mas eu não estou aqui pra promover gordura e nem magreza. Não faço apologia de nada, apenas da autoaceitação e da aceitação para com o próximo, o intuito do blog é esse. Como eu passei muito tempo no escuro e me sentindo muito mal pelo meu peso eu decidí criar um espaço aonde pudesse mostrar que ser gordo não é pecado, não é falta de educação, não é "desleixo e preguiça" como algumas pessoas insistem em pontuar. Por isso é que quando eu leio frases como essas eu fico pensando: essa obsessão pela magreza dos anoxéricos e bulímicos um dia acaba? Acaba quando eles tiverem pesando o mesmo que uma criança? E ai, eles serão felizes? Eles irão se aceitar como estão? E a saúde, ela importa? Se Ana ou Mia tiverem alguma resposta para a felicidade por favor, peçam-lhes que mandem um email para nós.

Abraços e boa semana.

5 comentários:

Sue disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sue disse...

Adorei o post, gosto muito do blog, e só pra comentar sobre o assunto, já fui Ana por algum tempo e hoje em dia faço RA. Nunca miei, mas um dos principais motivos para isso acontecer, é a sociedade, a pressão do dia-a-dia, o culto a magreza.
No meio artístico então nem se fale! Sei o que estou falando pq já passei por isso quando tentei a carreira de cantora (cantava numa bandinha), açgumas pessoas usam TODOS os tipos de palavras horríveis para discriminar uma pessoa gorda ou qualquer um que seja diferente.
Depois disso o resultado é ficar com raiva do próprio corpo, de ser assim, isso gera vários traumas emocionais na vida de uma pessoa e as cicatrizes podem ser eternas!
De certa forma entendo a cabeça das meninas que pensam dessa maneira.
Porém é só se aceitando que enxergamos o belo.
Não vale a pena essa auto-flagelação, o melhor é comer o que gosta com moderação e ser feliz!

Leci Irene disse...

Oi, boa tarde! Olha, a pressão da sociedade é tanta,que,por vezes,eu,jácom quase 60 aninhos,tenho que parar e meditar... pq se não,entro em parafuso e passo a não gostar de mim!
É uma luta que venho travando desde os meus 20 aninhos. Quem dera lá atrás eu tivesse encontrado alguém como vc!!!!!!!!!!
Não há de ser nada! eh! eh! Ainda me recupero e me aceito!
beijos
http://lecirene.blogspot.com

Simone disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Simone disse...

SimplesmenteD++++!!!Esse blog é tudo de bom!!!Tenho 35 anos 1.63alt e 84kg.Faço RA, mas já passei por muita coisa ruim em relação a dietas e transtornos.Fico feliz em poder contar com esse blog em meio a uma sociedade onde são vendidos corpos esculturais, depreciando a verdadeia imagem do ser humano.Sem palavra pra descrever o que sinto!
Bjs!!