sexta-feira, 3 de julho de 2009

Bullying - parte I

De acordo com o o dicionário Merriam-Webster a palavra bullying vem do verbo bully, que por sua vez significa: 1 - tratar abusivamente; 2 - afetar por meio de força ou coerção e tem por sinônimo intimidar. No contexto atual e nos ambientes escolares principalmente, o bullying mantém seu significado original e ainda ganha uma definição mais ampla. A ABRAPIA em parceria com a Petrobrás lançou um programa para reduzir o comportamento agressivo entre os jovens e mantém um site com algumas informações sobre o bullying (http://www.bullying.com.br). No site estão listadas quase trinta ações que são tidas como parte do bullying como "bater", "quebrar" ou "zoar". E que não pensem que o bullying é brincadeira de criança porque a tortura psicológica - e em alguns casos física - pode levar a atitudes extremas, porque geralmente a pessoa que sofre o bullying é de natureza passiva e por isso mesmo não se defende do agressor. O bullying acontece muito em ambientes escolares, mas não está restrito somente a eles: alguns casos de bullying acontecem entre vizinhos por exemplo, mas é na escola que o bullying tem uma parcela significativa. Citando o estudo da ABRAPIA:

A pesquisa mais extensa sobre BULLYING, realizada na Grã Bretanha, registra que 37% dos alunos do primeiro grau e 10% do segundo grau admitem ter sofrido BULLYING, pelo menos, uma vez por semana.O levantamento realizado pela ABRAPIA, em 2002, envolvendo 5875 estudantes de 5a a 8a séries, de onze escolas localizadas no município do Rio de Janeiro, revelou que 40,5% desses alunos admitiram ter estado diretamente envolvidos em atos de Bullying, naquele ano, sendo 16,9% alvos, 10,9% alvos/autores e 12,7% autores de Bullying.Os meninos, com uma freqüência muito maior, estão mais envolvidos com o Bullying, tanto como autores quanto como alvos. Já entre as meninas, embora com menor freqüência, o BULLYING também ocorre e se caracteriza, principalmente, como prática de exclusão ou difamação.

Ou seja, o bullying acontece com um número suficientemente grande para chamar a nossa atenção e para que tomemos consciência das consequências que um caso de bullying não ou mal resolvido pode tomar. Além de isolamento e depressão o bullying pode levar uma pessoa ao suicídio por isso precisamos ter um olhar bem atencioso para evitá-lo, mas caso aconteça, suas vítimas precisam de todo o amparo possível . Enquanto eu escrevia essa matéria eu me lembrei que chegou a acontecer com a minha irmã a cerca de dois anos. Minha irmã, por motivo de um problema de saúde precisou fazer uso de medicamentos de origem do corticóide. Para quem não sabe um dos efeitos colaterais do corticóide é que seu usuário fica inchado (não me perguntem porque pois eu não sei) e aí na escola algumas meninas da sala dela ficaram de gracinha com ela, inventando apelidos na escola e numa comunidade do Orkut. Essas atitudes não duraram muito porque procuramos a direção da escola e como minha irmã estuda na mesma escola desde a primeira série aconteceu de conhecermos os pais das meninas que estavam praticando tais atos contra minha irmã, portanto imprimimos algumas páginas do Orkut e de posse disso fomos a casa de cada uma das envolvidas. No fim, as famílias pediram desculpas e as meninas pararam, mas a minha irmã durante muito tempo ficou sem vontade nenhuma de ir a escola. Do mesmo jeito que aconteceu com ela acontece todos os dias com várias pessoas e se alguém quiser relatar alguma história de bullying ou comentar qualquer coisa pode também utilizar o nosso email: mundogege@gmail.com . Eu não tive tempo de pesquisar, mas prometo trazer uma segunda parte da matéria do bullying pois quero conversar com algum advogado para saber o que pode ser feito legalmente contra o bullying além de trazer relatos, então não percam a segunda parte da nossa matéria! Beijos e bom domingo!


2 comentários:

disse...

Olá Ana. Vim dar uma espiada por aqui também. Vi seu comentário no meu post do se dê conta e retribuo na mesma moeda. Seu blog é interessantíssimo e bem gostoso de explorar. Gostei das suas críticas e escolhas de matérias. Vou passar seu link para a moderadora do nosso blog para linkarmos você também. Boas férias, quando voltar entramos em contato e trocamos mais figurinhas. Beijos Fê Timerman

disse...

Esqueci de falar que estou fazendo uma pesquisa no exterior que aborda muito o Bullying na transição do primário pro segundo grau, então achei bem bacana ver essa matéria e até a iniciativa Abrapia. Beijos