domingo, 21 de junho de 2009

Será que você ainda vai ouvir falar dela? MeMe Roth


Vocês sabiam que nos Estados Unidos existe um Movimento (ou Ação) Nacional Contra a Obesidade?Nem eu, descobrí agorinha enquanto fazia uma leitura de alguns fat-blogs que eu adoro muito. Criada por uma relações públicas (e agora uma "conselheira da saúde" como ela se auto entitula) chamada MeMe Roth o MNCO é uma associação "totalmente voluntária dedicada a reverter a crise de obesidade eliminando aceleradores de obesidade e doenças contidas nos alimentos, eliminando a má alimentação servida às crianças em escolas e centros infantis e erradicando a Obesidade de Segunda Mão (isto é, obesidade que passa de uma geração a outra) além de encorajar exercícios para todas as idades". O MNCO se preocupa com a alimentação das crianças, motivo pelo qual MeMe foi até a YMCA (a Associação Cristâ de Moços americana) pedir para que outro tipo de lanche fosse servido às crianças e não os eventuais lanches cheios de calorias e gorduras. Além disso, no site do MNCO foi lançado um boicote à compra dos famosos biscoitos vendidos pelas escoteiras dos EUA. Exagero ou não, num ponto eu concordo com MeMe: a nossa alimentação tem passado por diversas mudanças e eu acredito que o mundo esteja comendo mal ultimamente, até porque uma alimentação saudável (como já falamos aqui) às vezes custa muuuuito mais caro do que um fast food ou uma comida pronta. Acho que campanhas como essa não devam ser desencorajadas, porque é fato que as crianças precisam comer melhor, pelo menos eu acredito que exista diferença do que as crianças comiam na minha época para o que elas comem hoje, pois a gama de produtos industrializados é infinitamente maior. Mas por outro lado, certas declarações feitas por ela, me incomodam profudamente e denotam uma relação problemática com o próprio peso e a comida: Quando eu estava no jardim de infância ninguém me ensinou a ter vergonha da obesidade até o dia em que, no meu aniversário, minha mãe viria trazer o bolo para a minha sala, eu abaixei a cabeça porque eu sabia que dentro de minutos a minha mãe estaria alí e todo mundo ia saber que a minha mãe era gorda. Eu me sentí com vergonha. Eu fiquei grata porque no final do quarteirão tinha uma mãe mais gorda que a minha mãe. Declarou MeMe certa vez.

Acredito que a preocupação com a saúde, com aquilo que comemos é algo totalmente válido, afinal hábitos saudáveis levam a uma vida saudável, pelo menos é no que acredito. Mas, espalhar uma estigmatização ou um olhar preconceituoso não é nada saudável. Querer combater a obesidade no sentido de ajudar é efetivo ou pode ser efetivo, desde que ninguém precise ser humilhado e perseguido por isso. E que ninguém tenha vergonha de ser o que é, porque viver com vergonha, como no relato acima dado por MeMe é na minha opinião uma prova descomunal de falta de maturidade. Saúde sim preconceito não, Meme.

3 comentários:

Flávia disse...

Nossa...fazia um tempo que eu nãoi vinha aqui...rsrs

Bom...achei a proposta do movimento interessante, pena que os motivos que levaram a isso estão errados. O cometário dela foi bem infeliz. O gordo só é gordo pq já tem um problema de auto estima, depressão e outros fatores bem sérios e "ensiná-lo" a ter vergonha da obesidade é como dar mais veneno par alguém que já está envenenado...enfim....

Aninha...adoro seus textos...

bjs

Geninha disse...

interessante...

happybody disse...

Muito legal seu blog Ana! Já sou seguidora!