segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Por quê tão coberta?

A revista Elle no mês de novembro resolveu dedicar sua edição às mulheres no cinema, como a Reese Whiterspoon, Penélope Cruz e a querida - e plus size - Melissa McCarthy. Foram feitas varias caps com essas atrizes para a edição. Pra quem não sabe, Melissa é a protagonista do seriado Mike & Molly, ganhadora do Emmy e uma das atrizes mais versáteis e engraçadas de Hollywood. Isso sem mencionar que eu a acho linda. Pra mim, ela será eternamente a Sookie de Gilmore Girls -seriado que eu amava e que acabou em 2007. Este artigo é baseado nessa matéria aqui: MATÉRIA. Tá em Inglês então eu pensei em apresentar o artigo mas com minha versão em Português. A autora é 

Mas vamos à capa da revista:



E é ai que surge a questão. Enquanto uma parcela do mundo plus size comemorava o fato de uma gordinha estampar a capa de uma revista importante como a Elle outra parte se questionava porque a atriz estava tãããããããããão coberta. Pode até ser porque a edição é de outono (novembro nos EUA é outono) mas a Reese por exemplo na outra opção e capa está num vestido lindo e sexy e Penélope Cruz está num lindo e natural close do seu rosto, então eu não acho que esse argumento seja válido. Olha só que linda a nossa eterna Elle Woods de Legalmente Loira:



O que eu acho é que Melissa pode mais.Ela podia um look melhor, ela é uma plus size sem medo das suas curvas, ela poderia estar num look mais audacioso. Se a decisão é por conta da estação do ano - coisa que eu duvido - uma coisa tem que ser dita; o casaco é lindo! Mas, de novo, acho que Melissa merecia uma coisa mais poderosa, como diria Tyra Banks, mais FIERCE (ousado).

Bom, então fica a discussão: vocês acham que Melissa está coberta de modo a esconder o corpo plus size? Vocês acham que foi uma decisão editorial baseada apenas na estação do ano? Comentem aqui a opinião de vocês! 

Beijos! Ana Paula. 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Moda praia para para todas!

Voltar ou não voltar a blogar, eis a questão! De qualquer maneira já tem umas semanas que ando coçando pra escrever então vou pegar o embalo e mostrar uma coisa bem bacaninha que achei na net agorinha mesmo. O verão tá chegando se essa chuva deixar  e com ele a gente pensa em praia, calor, piscina e porque não em sensualizar numa roupa de banho, seja ela um maiô ou um bikini. Sou #teammaiô por motivos de minha barriga é mais branca que o resto do meu corpo, vou me sentir o Ross quando foi fazer bronzeamento artificial. De qualquer modo todo verão é a mesma coisa: eu saio à caça do maiô perfeito e tudo que encontro é... decepção. Sério. Ano passado eu fiz uma compra virtual de um maiô que eu achei que seria perfeito pra mim. Não foi muito caro, mas quando a peça chegou eu não consegui disfarçar a frustração. O maiô era pequeno - pro tamanho 56 que eu pedi ele era minúsculo - e o tecido pinicava, nada que fosse durar um verão indo de piscina pro mar (nessa época eu me jogo na água mesmo). Tive que me virar com os velhos, um inclusive que está praticamente rasgando de tanto que eu uso e outro mais novo, mas de caimento duvidoso. Enfim, fiquei frustada e jurei nunca mais comprar sem antes experimentar. Dai que hoje por um acaso qualquer eu cliquei nesse link e estou morrendo de amores até agora. O nome do site é Swimsuits For All ou Moda Praia Pra Todas (ou Roupa de Banho Para Todas, como quiserem). Eu fiz uma seleção das 10 peças que eu compraria se eu fosse RYCAHHHHHH se pudesse agora mesmo!

All rights reserved to Swimsuits For All

Começando pelo número 1, acho DIVO e provavelmente muito confortável. Esse reforço na barriguinha também ajuda a manter a firmeza nessa região. O número 2 é clássico P&B lindo, acho elegante. O número 3 é mais esportivo mas essa abertura com zíper eu acho ZEGSY e essa listra vermelha ajuda a alongar (tem em outras cores). O número 4 ajuda a criar uma cintura mais definida e eu acho isso lindo mas não curto o decote que pra mim é muito fechado. O número 5 é baphônico, nunca tinha visto nada parecido e ele é uma peça única! Achei a ideia legal se você vai à praia fazer exposição de figura, mas não sei se ele seria prático pra quem nada muito. O número 6 é lindo e também diferente de tudo que já tinha visto e esse decotinho deixa a gente mais 'formosa' né? O número 7 tem o mesmo problema do decote, mas eu AMEI a estampa e a escolha de cores. O número 8 eu confesso que é o único que eu não compraria mesmo, mas achei a proposta tão diferente que resolvi incluir. Inclusive a loja tem várias peças desse tipo que eles chamam de sarongue. O número 9 é de um ombro só e eu acho sexy, mas não me bronzearia com ele #marquinhafeelings. E o número 10 parece maiô de filme, de novo uma proposta bem diferente do que a gente tá acostumada. No geral eu gostei muito das peças, único ponto em desvantagem é que eu acho algumas modelagens muito fechadas tanto no decote quanto no bumbum e o fato deles praticamente não terem os nossos bikinis, nem no formato sunkini - que é aquele de calcinha mais compridinha. Eles tem uma seção chamada Tankinis em que a ideia é usar uma camisetinha (no mesmo tecido do maiô) com uma calcinha (que parece ser aquelas de sunkini, bem larguinhas mesmo). O único tankini que parece um bikini é esse: 

All rights reserved to Swimsuits For All. PREÇO (em dólares): $54,40


De qualquer forma vale visitar essa seção do site, tem muita coisa bonitinha. Uma ideia de outros tipos de tankini pra vocês verem:

All rights reserved to Swimsuits For All. PREÇO (em dólares):$39,90
Ai você pode usar essa calça menor mas se você não gostar tem modelagem com shortinho e até com saia. E o legal é que você compra as partes separadas, então se você veste uma numeração em cima e outra embaixo não tem problema. E a numeração vai até 62 em alguns modelos. Tem outras coisas legais no site tipo saídas de praia:



                                  All rights reserved to Swimsuits For All. PREÇO (em dólares): $29.40 e $19.20 respectivamente.


E por último esse vestido-maiô que também é algo que nunca vi aqui e eles tem uma linha inteira:

All rights reserved to Swimsuits For All. PREÇO (em dólares): $40.60

Eu confesso que fiquei encantada com a profusão de cores, estampas e modelagens. Acho que um país tão tropical e porque não dizer praiano quanto o nosso merecia que TODAS as mulheres tivesse acesso a esse tipo de roupa. Vocês vão me dizer que já tem marca nacional fazendo isso e eu tenho que concordar, já tem mesmo, mas algumas delas com preços exorbitantes. No SFA (Swimsuits For All) as peças variam entre 14 e 60 dólares (de 32 a 137 reais em média), agora aqui o maiô que eu queria não saía por menos de 230 reais, quer dizer quase 100 reais a mais. Agora essa postagem NÃO é pra criticar a nossa indústria nacional não, é apenas para inspirar, ilustrar e quem sabe sonhar com o dia em que teremos essa variedade toda de forma acessível onde nosso único dilema será quais as peças levaremos pra casa. E eu espero que estejamos caminhando para essa realidade e reconheço que algumas marcas tem feito o seu melhor em desenvolver peças de bom gosto e qualidade. É só que eu acho que esse bom e essa qualidade ainda não chegam para todas. E esse post não foi pago, eu fiz pelo prazer de mostrar ás pessoas que a gente pode e deve levar nosso corpinho pra praia, pra piscina sem medo de ser feliz. Tamanho não é problema e eu espero que diversidade nas modelagens e nos preços deixem de ser também muito em breve! Beijos, Ana Paula.

Site: http://www.swimsuitsforall.com/




quarta-feira, 8 de maio de 2013

Gordo NÃO PODE!

Mas vejam vocês que ninguém está salvo de dizer bobagens nesse mundo. O CEO (ou presidente) da  Abercrombie & Fitch, conhecem a marca? Eu mostro:

Difícil mesmo foi achar uma foto de gente realmente vestida com a roupa, rs.
Bom, o presidente desta ilustríssima companhia - Mike Jeffries - declarou que não quer gente gorda vestindo suas roupas. O motivo? O público-alvo da marca são as pessoas bonitas e segundo ele as pessoas bonitas ficariam frustadas vendo gordinhos em suas peças. Ele explica ainda que o motivo da marca ter muitos GG e EXG em suas peças é que elas são feitas pros caras sarados, que não entram em qualquer camiseta. NÃO É PROS GORDOS VIU??? Essa é apenas uma das pérolas que esse cara disse. Nesse link aqui vocês podem ler 13 pérolas que Jeffries soltou por ai, vou traduzir algumas para vocês: 

"Em toda escola tem os jovens legais, populares e também os não tão populares assim".
"Honestamente, nós estamos atrás dos jovens legais. Nós estamos atrás do jovem tipicamente atraente americano com uma boa atitude e muitos amigos. Muitas pessoas não pertencem às nossas roupas e não podem mesmo pertencer."
"A Abercrombie está interessada apenas nas pessoas com barriga de tanquinho que parece vão pular numa prancha de surf a qualquer momento".

Ou seja, eu não ouvia/lia tanta besteira desde que vi Meninas Malvadas. Porque esse papo de "jovens populares e tals" é tipicamente high school né? O problema é que quando ele dá declarações do tipo ele vai continuar perpetuando o biotipo do jovem americano, zagueiro do time de futebol, sarado, que namora a cheerleader gostoso e etc e tal. A gente vive num mundo que vai além dos filmes de Sessão da Tarde e do The O.C. Mas a mídia vai continuar propagando essas coisas que nem começam a refletir o que é o jovem americano. E o resultado é esse monte de atentado em escolas, mortes e etc, porque as crianças sentem isso mesmo que esse senhor descreveu: QUE ELAS NÃO PERTECEM. Mas não só à Abercrombie, elas sentem que não pertencem ao mundo. Porque segundo meia dúzia de idiotas o mundo pertence aos sarados que vão surfar. Mas faça-me um favor em que realidade essas pessoas que dizem essas coisas vivem?  O pior é que ele diz não dar a mínima pra opinião de quem não é público-alvo da marca dele, ou seja, eu posso me rebelar o quanto quiser, o que ele está dizendo é que não interessa porque ele não quer vender pra mim. Tem nada não, seu Jeffries, eu prometo NUNCA comprar nada da sua marca tá? 

Fonte:  http://sempaleto.com.br/2013/05/08/ceo-da-abercrombie-fitch-nao-quer-pessoas-gordas-usando-suas-roupas/

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Vigília da imagem

Eu não sei vocês, mas eu fui gorda uma vida inteira. O que quer dizer que todo mundo SEMPRE me conheceu gorda. Dos meus familiares ao meu namorado, eu sempre fui essa mesma Ana, gorda. Acho que até por isso, não existe uma vigília constante sobre como anda o meu peso. Quero dizer, eventualmente alguém me pergunta sobre emagrecer, sobre eu estar mais magra ou gorda, mas isso é tão espaçado que eu realmente não me sinto pressionada. Aos 32 quase 33 anos as pessoas - eu acho - se conformam com o seu peso. Pessoas que você conhecem agora podem até dizer algo, mas a sua família, seus entes queridos a essa altura já amam você como você é. Eu estou escrevendo essa introdução longuíssima pra comentar que estava lendo este texto aqui => E se sua mulher engordasse e é claro que partilhei no Facebook com direito a muitos comentários e polêmicas. Pra resumir, o texto fala da mulher do ator Pierce Brosnan - o penúltimo James Bond - com quem ele está casado há 15 anos e que ganhou alguns quilos ao longo dos anos. O autor do texto, Alex Castro, que eu não conheço, fala com brilhantismo sobre como as pessoas se chocam pelo fato de Pierce não ter largado a mulher e como isso é absurdo. Estou resumindo o texto ao mínimo porque acho que vocês deveriam lê-lo, então cliquem no link por favor! Depois de ler a reportagem eu fui a um dos sites que Alex cita chamado Celebrities Getting Fat (algo como Celebridades Engordando) simplesmente porque me surpreendi com um site com esse nome. Na minha cabeça ninguém jamais criaria algo do tipo. Tá, eu sou inocente, pelo menos nesse aspecto eu juro que fui pega de surpresa (muito embora eu me lembre do site Ego fazendo isso, mas em algumas notas, não uma página inteira dedicada a isso). Mas enfim, cliquei lá - NÃO VOU DAR O LINK, ME RECUSO A DIRECIONAR VOCÊS PRA ESSA PALHAÇADA - e confesso que fiquei abismada com a quantidade de lixo que li. E ai me vem de novo a palavra VIGÍLIA na cabeça. Porque esse tipo de site com suas publicações basicamente não comentam apenas dos que já são gordos. Eles estão de olho na Beyonce, na Kim Kardashian. Se elas engordam uma miligrama, lá estão eles comentando sobre como as "coxas da Beyonce estão maiores". Um nojo absoluto! Chamadas do tipo: "Fulano de tal deveria ficar de camiseta" quando um famoso está andando de bicicleta sem camisa ou "Cristina Aguilera está mais gorda ainda"? Enfim, eu senti sobre os famosos essa vigília constante sobre a imagem. Não basta ser famoso, ser seguido por paparazzi o tempo todo e as vezes não ter sossego pra ir num shopping. Você também não pode engordar NENHUMA miligrama porque tem quem se ocupe do seu peso. Hollywood vende esse sonho dourado de que seremos magros e lindos pro resto da vida e ainda de que se é feliz apenas sendo magro - conte ai quantos filmes tem um protagonista gordo se dando bem, sem ser ridicularizado e me diga - e o pior é que as pessoas, nós, meros mortais acabamos comprando essa ideia. Passamos a vigiar e a acreditar que se a pessoa vive de imagem, essa imagem tem que ser magra e jovem - porque também tem aquela vigília com a idade que é assunto pra outro post - PRA SEMPRE. Gente, vamos afrouxar os padrões. Mas não é só pra nós, pessoas comuns. Vamos afrouxar o padrão pra todo mundo. Se a Britney Spears engordar amanhã que ela não precise cair no crivo e na crueldade de todo mundo. Afinal, cada um faz o que bem quer com seu corpo. E gente, a atitude de Pierce Brosnan não deveria causar choque. Oras, quando você se casa com alguém, se casa apenas com o corpo? Pessoas envelhecem, corpos mudam, cabelos caem. Pra mim, o casamento é um acordo feito não apenas com base no material que a pessoa tem. Casa-se com o outro pela sua essência. Ou não? Estou sendo inocente mais uma vez? Comentem ai e me digam! 

Beijos, Ana Paula. 

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Será que elas são?

Bom dia!
Já faz um tempo que escrevi um post sobre Crystal Renn perguntando se ela era plus size ou não. Hoje me deparei com uma matéria - alguém postou no twitter - mostrando lindas modelos que o mercado considera plus size e questionando a nomenclatura. Alguns exemplos: A matéria na íntegra está aqui

Robyn Laeley

Laura Wells

Ashley Graham
Que a moda americana plus size encolheu, é um fato. A própria Crystal Renn ficou magrinha. Ela tem todo direito, não é essa a discussão aqui. Voltando, todas essas modelos que vocês estão vendo vestem mais ou menos o tamanho 40 e é isso que me assusta um pouco,de repente o tamanho ficou grande demais pra moda? E que tipo de corpo a moda está buscando? Tamanho 30? Eu não tenho nenhum problema em ser representada pelo tamanho quarenta, desde que a indústria não se esqueça NUNCA e jamais que a gama de tamanhos plus size pode começar no quarenta, mas ela pode ir muito, muito além. E era isso que eu queria dizer com toda essa introdução. Porque não me adianta fazerem roupas ditas plus size e criarem coleções lindas na C&A se elas vão até o tamanho 50. É uma limitação do plus size. A gordinha que vai até a loja se frusta mais uma vez porque de novo, não tinha no seu tamanho, muito embora ela tenha acreditado na premissa de 'tamanhos maiores'. Confesso que sou uma consumidora desconfiadíssima. Exemplo faz anos que não entro na C&A, Riachuelo, Renner e Marisa pra procurar roupa. Eu descobri que a Leader tem uma sessão plus que me satisfaz simplesmente porque é uma sessão consideravelmente grande, eu consigo achar de um tudo. Nem sempre me agrada a modelagem ou o preço, mas eu não posso dizer que eles não tentam e por isso eu meio que fidelizei. Ainda continuo indo na especializada plus size, aquelas que vendem até tamanho grandes mesmo ou mais simplesmente porque lá eu sei que vou achar o meu tamanho, mas infelizmente as lojas são poucas e a variedade dentro delas não satisfaz. Então vocês vejam o dilema da moda: temos a procura, a oferta continua minúscula. Tem muito mais gente fora do padrão procurando roupa do que loja oferecendo - com qualidade né gente - e quando elas oferecem a gente tem que contentar com falta de opção e preço lá em cima. Vocês acham que eu divergi muito do assunto principal? Bom, deixa eu tentar dizer pra vocês a minha lógica: meu medo é que a indústria foque num plus size que não vai atender a maioria gorda, se o padrão vigente me diz que 40 é um tamanho grande, a loja vai começar no 40 e acabar no que, no 50? Eu quero roupa pra quem está à margem do padrão - acontece que eu estou nessa margem - pro 50, pro 52, 54, 56, 58, 60, 62 e por ai vai. Acho lindo o mundo se abrir pro plus size, mas quero ver além de qualquer editorial da Vogue - não me entendam mal eu acho lindo a gente ter chegado na Vogue, mas NÃO É TUDO, sorry - eu não quero ter que achar lindo na verdade termos chegado em lugar nenhum simplesmente porque acho que a mulher gorda não tem que conquistar nada. Não temos que conquistar espaço em mídia, em novela, em moda. O lugar JÁ É, SEMPRE FOI  nosso. A mulher real - seja ela gorda, magra, alta, baixa - já é cadeira cativa neste mundo, afinal somos nós as mulheres reais que sustentamos essa porra de mercado, que geramos os bilhões que são gastos com roupas, sapatos, cosméticos e etc não é mesmo? Então dá licença, eu praticamente já me considero dona do mundo, não tenho que conquistar o que JÁ É MEU. E no meu mundo eu quero roupas pro meu tamanho SEJA ELE QUAL FOR. 

Fui clara?????

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Projeto FullBeauty

Uma amiga publicou isso no Face há pouco e eu achei que devia compartilhar (thanks Mari Mello). Um fotógrafo italiano Yossi Loloi (o site ainda tá em construção, mas já fica a dica) criou um projeto chamado FULLBEAUTY PROJECT que consiste em fotografias artísticas de mulheres obesas nuas. Na página do projeto (http://www.fullbeautyproject.com) o artista justifica seu trabalho da seguinte forma: 

"No meu trabalho eu retrato o que mulheres grandes representam para mim. Eu foco em sua plenitude e feminilidade como forma de protesto à discriminação que é feita pela mídia e pela sociedade de hoje. O que as mulheres grandes significam pra mim é simplesmente uma diferente forma de beleza. Eu acredito que nós possuímos 'liberdade de gostos' e ninguém deveria se sentir relutante em expressar suas inclinações para o que gosta." (tradução minha)
E vamos às fotos:





Eu achei o trabalho interessantíssimo e não estou fazendo uma apologia à obesidade de forma alguma, mas achei interessante que essas mulheres estejam sendo retratadas EXATAMENTE COMO SÃO. Quantas vezes a gente não encolhe a barriga, põe as mãos pra frente, se inclina pra não deixar alguma gordurinha à mostra? Quantas vezes a gente tem vontade de retocar uma foto porque "NOSSA EU TÔ MUITO GORDA". Lembro de uma amiga que, ao não gostar de uma das fotos do aniversário de outra amiga sem querer apagou TODAS as fotos que havíamos feito naquele dia. Bom, fica a sugestão pra vocês. Depois me contem o que acharam. Beijos. Ana Paula. 

Fonte: Mistura Urbana 

domingo, 25 de setembro de 2011

Melissa McCarthy leva o Emmy de melhor atriz!

Oi pessoal, tudo bem? Dei uma sumida porque estava trabalhando 3 turnos, dormindo 6 horas por dia e cansada demais pra pensar em postagem. Não esquecí que eu fiquei de fazer a sessão da Consicência da Autoestima mas vou deixar pra outubro porque outubro tem feriado, risos.


Não sei se vocês sabem mas domingo passado tivemos a edição do Emmy 2011, que premia séries e programas feitos para a TV. Para minha surpresa a linda premiada como melhor atriz de 2011 foi a ...


 Um doce pra quem disse Melissa McCarthy!

Eu sempre gostei da Melissa, desde Gilmore Girls em que ela fazia a doce chef Sookie, melhor amiga da protagonista Lorelai Gilmore. Desde Gilmore Girls que eu acho Melissa cativante e uma das gordinhas mais lindas da TV. O guarda roupa de Sookie também me deixava animadíssima, pois ela sempre se vestiu bem em Gilmore Girls. 

Taí o vestido de noiva dela que não me deixa mentir, rs. 

Mas infelizmente em 2007 Gilmore Girls acabou e eu fiquei sem ver Melissa McCarthy até a estréia de Mike and Molly ano passado. No seriado, Melissa dá vida à protagonista Molly com muita graça e suavidade. Confesso que ainda não sou assídua de Mike and Molly simplesmente porque não tive a chance de vê-la com mais frequência, mas já assistí alguns episódios. 


E então que neste domingo Melissa levou pra casa o Emmy de melhor atriz por sua atuação na série e isso me deixa imensamente feliz porque eu acho que desde Gilmore Girls que McCarthy merecia um Emmy pra chamar de seu, pelo carisma e competência que eu vejo na tela desde 2001! Parabéns Melissa!

amei o vestido azul marinho dela, tendênciaaaaan.


Beijos, Ana Paula,


sábado, 27 de agosto de 2011

Boas sugestões pra vestido de noiva: Say Yes to The Dress

Bom, quase todo sábado eu fico na casa da minha vó e quase sempre fico na deliciosa sala dela zapeando a TV a cabo, faz parte da tradição de sábado - e eu sou uma menina de costumes, vocês vão notar - mas nas últimas semanas tenho zapeado menos e prestado atenção em um programa em especial: O Say yes To The Dress ('Diga sim pro vestido) que aqui no Brasil passa no E!, na TV da vovó é o canal 84. O SYTTD (abreviei o nome gente!) é um programa sobre a busca das noivas pelo vestido ideal em qualquer orçamento - já ví vestido de 800 dólares, de 5000 dólares, tem de tudo que é preço. Geralmente eles mostram três mulheres e suas histórias de amor, bem como seus dilemas ao escolher o vestido - orçamento, tamanho, modelo, opiniões e etc - e no final do programa eles filma uma cerimônia de uma das três participantes. Bem, eu não sei vocês, mas eu adoro olhar vestido de noiva - hum, #casamentofeelings hehehe - e acho legal esse ritual de planejar o casório - nos EUA isso é uma tradição fortíssima - então eu sempre fico atenta assistindo ao programa, enfim eu curto. Duas semanas atrás eu comecei a curtir mais ainda porque descobrí que existe uma versão plus size do programa chamada Say Yes To The Dress - Big Bliss (Big Bliss significa 'grande alegria'). O programa segue o mesmíssimo formato do original e o que me encanta é ver que as mulheres plus size - pelo menos por lá - tem muito mais opção e passam por menos constragimentos que uma noiva plus size pra encontrar um vestido que lhe sirva por aqui. O atendimento na loja é super atencioso e os vendedores tem experiência e know how em lidar com clientes maiores. Mas eu fico assistindo mesmo é pra olhar os vestidos e vou lhes dizer: é cada coisa LINDA que eu já ví nestas duas semanas que minha vontade é comprar vários vestidos de noiva pra mim. E você vê que são vestidos bons e que valorizam QUALQUER CORPO - já ví episódios com manequins tipo 54, 56 e 60, com barriga grande, seio grande, perna grossa, todo tipo de corpo tem o vestido que lhe cai bem, com caimento perfeito - e como eu disse acima TODOS os preços - o vestido de 800 dólares é desta versão plus size. Enfim, achei que valia a dica para quem vai se casar e quer ver algumas sugestões de vestidos e pra quem vai pro exterior, no programa mostra a loja dos vestidos - tem uma versão NY e uma Atlanta, não sei se a loja é a mesma porque só ví a versão NY e esquecí o nome da loja - então sempre é possível vê-los ao vivo. Separei alguns vídeos do Youtube pra vocês darem uma olhadinha, espero que a dica ajude! Beijos, Ana Paula.



sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A importância de se ter autoestima.

Que a autoestima é fundamental na vida de qualquer pessoa, isso a gente já sabe. Venho falando continuamente pelos últimos dois anos que a estima por si mesmo - não a presunção, mas para se conhecer e se valorizar - nos permite explorar todo nosso potencial e assim viver uma vida mais plena. Bom, eu não tenho o menor respaudo científico em nada, é tudo com base na minha vivência, que por sinal é muito feliz. Mas eu sempre tive exemplos de amor e autoestima em casa, minha mãe é uma mulher valente e segura de sí, então eu acho que crescí com o exemplo. O que já não acontece com essa mãe aqui: 






Pra quem não conhece essa é Sarah Burge, conhecida como a "Barbie Humana" que alega já ter gasto mais de um milhão em procedimentos cirúrgicos. Vejam só, eu não sou radicalmente contra a plástica. Mas também não sou a favor de virarmos uma pessoa que gasta 1 milhão em plásticas. Mesmo. Mas o que eu quero comentar aqui que a criança com Sarah na foto é a filha de 6 anos, que por ocasião de seu aniversário ganhou um "vale cirurgia" no valor de 15 mil pra gastar com... CIRURGIA PLÁSTICA. Gente, sério. A menina tem 6 anos. Ela só poderá fazer a cirurgia aos 16 que é a idade legal pra esse tipo de procedimento, mas gente... a menina tem SEIS anos. Que raio de presente é esse mãe? Que influência é essa? O que uma mãe dessa tem a ensinar pra filha. Olha pra menina gente, ela é uma flor, um doce, uma linda. Se aos 16 ela já vai fazer um implante de silicone - e a mãe disse que se ela tiver seios fartos pode fazer outro procedimento - aos 18 vai ser o que? Aos 20? 30? E quando ela chegar aos 50 terá gastos os mesmos um milhão que a mãe gastou? Estará com essa aparência? Sério, vocês entendem meu choque? Mãe nenhuma devia dar esse tipo de presente a filha: é dizer a ela que ela nunca vai poder ser o que quiser ser, fora do padrão. É dizer a ela que NÃO ESTÁ OK SER COMO ELA É, ELA PRECISA MUDAR, ELA PRECISA DE RETOQUES. Isso é muito perigoso, especialmente começando nessa idade e eu não preciso ser nenhuma psicologa ou terapeuta pra saber que a filha terá os mesmos problemas de imagem que a mãe já possui. Papais e mamães, estejam preparados pros seus filhos, ensinem a eles o quanto é bom se amar do jeitinho que Deus os fez e se algum dia quando eles forem grandes, eles quiserem mudar a aparência, apóiem - desde que não seja uma coisa agressiva - e estejam do lado deles, mas deixem eles primeiro formarem suas personalidades e manifestarem essa vontade latente de fazer alguma intervenção no próprio corpo. A filha de Sarah disse que estava louca pra ganhar o 'vale cirurgia' mas vocês vão concordar comigo que isso é influência do próprio comportamento da mãe, que já ficou famosa pela quantidade de cirurgias. Bom, minha mensagem final é: MUITO CUIDADO COM O QUE VOCÊS ENSINAM PROS FILHOS, AS CRIANÇAS TEM OS PAIS COMO MODELO ENTÃO A SUA AUTOESTIMA PODE UM DIA INFLUENCIAR A AUTO ESTIMA DO SEU FILHO. Pensem nisso. Beijos e boa sexta, Ana Paula.


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Ser gordo te ofende?

Em conversa com minha amiga Mari Diamond do blog Papel Acobreado (aliás, quem ainda não leu o blog da Mari FAZ FAVOR que essa menina escreve com a alma e o coração) ela me relata um episódio que aconteceu com ela recentemente. Ela disse:

"...um babaca da internet me chamou de gorda porque eu não quis conversar com ele..."

Primeiro que eu fico pensando o que motiva uma pessoa ficar xingando a outra na Internet, porque né? Tão ano passado isso, tão... fórum de Orkut, risos. Mas nem é isso que eu quero ressaltar aqui. O que eu e Mari discutíamos é a importância que algumas pessoas dão pra algumas palavras. Eu explico: o cara que achou ruim da Mari não querer papo com ele achou que tava ofendendo horrores quando a chamou de gorda. As pessoas só se esquecem que ser gordo é uma característica como outra qualquer. É como chamar alguém de alto, baixo, loiro, moreno. Sabe onde mora o problema em ser chamado de gordo? Na conotação que VOCÊ dá pra palavra. Por exemplo a Mari. Vocês acham que ela se importou? Não, ela me disse: "Gentem, temos que abraçar a realidade para sermos felizes...se alguém acha 'gordo' horroroso é problema deles e não nosso. Os gordos... não tem isso de ficar se sentindo ofendidos de serem chamados pelo o que são." E eu nem precisava dizer que concordo plenamente, mas enfim, eu falo demais (rs) .  Ser GORDO não é problema nenhum desde que não seja problema pra você. É claro que se você prefere ser MAGRO que ser GORDO, emagreça e transforme-se. Já dizia o Ghandi "seja a transformação que você quer ver". Mas se pra você ser GORDO não é problema não tenha medo da palavra. Não tenha medo de ser você, NUNCA! A ofensa só existe na sua cabeça e na cabeça do seu agressor. Como diz a minha mãe CARETA FICA NA CARA DE QUEM FAZ, então quando alguém tenta me ofender eu me lembro disso e deixo todo mundo fazer as caretas que quiserem, lembrando-se sempre que toda ação tem uma reação - nossa hoje o post tá cheio de clichês, pardon, rs. Mas na minha humilde opinião a verdade é essa, quando a gente não se aceita qualquer coisa nos ofende, é capaz de eu chamar alguém de linda e ainda ainda ficar brava achando que eu estou de ironias. Quando a gente se ama e sabe o valor próprio NADA pode quebrar isso, nem meia dúzia de xingamentos. Então, pensem bem na próxima vez que vocês forem se ofender com alguém se a ofensa não está nascendo dentro de vocês primeiro, okay? Posso garantir que isso faz toda diferença entre rir da cara dos babacas como o que a Mari citou e passar o dia inteiro se sentindo mal. Beijos, Ana Paula.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Nenhum excesso é saudável!

Olá pessoas, tudo bem? Como vocês estão cansados de saber, o Mundo GG é um blog que trata do mundo dos gordinhos e gordinhas, notícias sobre moda, comportamento, saúde e o que mais me der na telha. No entanto neste blog não fazemos apologia à obesidade. Não acredito em apologia a coisa alguma e respeito demais os meus leitores pra dizer a eles que 'isso' ou 'aquilo' é o certo e o que deve ser feito. Mas de quando em quando, me sinto obrigada a dar a minha opinião em certas coisas que leio por ai. Hoje, através do Facebook eu acabei lendo um link no G1 da mulher que quer chegar aos 700 kilos. O link pra matéria é este: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/08/com-317-kg-americana-que-se-tornar-mulher-mais-gorda-do-mundo.html . Eu, Ana Paula, honestamente, eu acho isso tão absurdo como uma menina querer pesar 35 kilos. Como o título deste post diz, nenhum excesso é saudável, seja ele de magreza ou de gordura. A americana da reportagem declarou estar em dia com sua saúde porque ela 'mede sua pressão todo dia'. Mas gente, saúde é muito mais do que só medir a pressão. E mais, existem consequências a longo prazo, coisas que vão além da pressão sanguínea, que todo mundo já deve ter ouvido falar pelo menos uma vez na vida. Eu defendo sim, um mundo onde as diferenças possam conviver em paz, defendo um mundo fora do padrão de capa de revista e photoshop, mas defendo também um mundo onde somos responsáveis pelo nosso corpo e temos por obrigação de zelar por ele. Da mesma maneira que eu não me entupo de cigarro, de álcool e nem de drogas pra preservar a minha saúde, eu também cuido e zelo pelo que entra no meu corpo, afinal de contas eu planejo ter uma vida longa e plena. Acho que essa americana pode comer o que quiser, mas ela me parece guiada pelos motivos errados: provar alguma coisa pra alguém. Meu medo é que ela morra ou cause graves consequências para o seu corpo no meio desse processo sem conseguir provar nada nem a ela mesmo.


E o que vocês acham?
Beijos, Ana Paula.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

E se ele não gostar de mim gorda????


Já faz algum tempo que uma amiga iniciou um relacionamento virtual com um rapaz. Amiga essa que é linda, plus size e cheia de vida. Ela e o rapaz já trocaram fotos, juras de amor e faltava apenas o derradeiro encontro. Aí é que começa o problema. Essa amiga entrou em parafuso com medo de uma possível rejeição. Bom, medo de rejeição todos nós temos um pouco - eu acho - mas ela começou a murchar, entristecer e passou a evitar usar as redes sociais e até evitava o celular. Tudo pra falar menos com o moço e assim ganhar tempo. Para quê ela queria ganhar tempo eu realmente não sei, mas fato é que as semanas iam passando e ela cada vez mais frustada, assim como seu quase pretendente, que não entendia as esquivas da moça. Um dia estávamos conversando e ela me confidenciou o problema: o medo da rejeição baseava-se em sua aparência. A minha amiga tinha medo de que o rapaz não gostasse dela por ela ser gorda e ela tentava adiar o encontro na esperança de quem sabe emagrecer uns quilinhos e ficar - na opinião dela - mais apresentável. Só que a frustação por não encontrá-lo e não estar vivendo o que queria estar vivendo a fazia comer mais e como consequência ela não conseguia o emagrecimento desejado. Então ela me disse com os olhos marejados d'água: E SE ELE NÃO GOSTAR DE MIM, GORDA ASSIM??? Respondí a ela como respondo a quem me perguntar: SE ALGUÉM NÃO GOSTAR DE VOCÊ GORDA, MAGRA, ALTA, BAIXA, LOURA, MORENA, NEGRA, ASIÁTICA, COM PEITO, SEM PEITO, COM BUNDA, SEM BUNDA, ESSA PESSOA REALMENTE MERECE VOCÊ???? Porque pensa comigo gente, quando a gente se apaixona não se apaixona pelo que uma pessoa é? Principalmente em termos de aparência não há como a gente disfarçar características, quero dizer, seu peso, sua cor, sua altura são coisas que estão com você desde que a pessoa te conhece. E aí ela se apaixona mas quer que você mude? Ela gosta de você mas não gosta de como você é? Bom, eu acho que se alguém não gostar de mim como eu sou - e as pessoas tem todo direito de não gostar afinal eu não tenho a pretensão de agradar a todos - essa pessoa nem merece que eu me importe com isso. Não que eu não ache que a gente não possa e não deva mudar. Mas mudança é um processo que tem de começar por dentro. Não pode ser pra agradar ninguém, nem pra fazer alguém gostar mais de você. Tem que ser porque VOCÊ QUER. Então eu disse pra minha amiga: você quer emagrecer, emagreça. Mas faça por VOCÊ. E não pode medo de que alguém não goste de você como você é. Seja quem você quer ser que as pessoas vão gostar de você naturalmente. E aquelas que não gostarem, bem queridos, elas não sabem o que estão perdendo! 


Beijos, Ana Paula.

sábado, 30 de julho de 2011

Apologia à obesidade.

Significado de Apologia

s.f. Discurso ou escrito que defende, justifica, elogia uma pessoa ou coisa: fazer a apologia da reforma.
Elogio, louvor, glorificação: fazer a apologia da virtude.


Pegaram o significado da palavra? Pois então, eu tenho um DESAFIO pra todo mundo que lê este blog: ENCONTRAR UMA MARCA DE ROUPA PLUS SIZE QUE FAÇA ALGUMA APOLOGIA À OBESIDADE. Quero que vocês procurem uma loja de roupa plus size ou de algum evento que diga que a obesidade é a melhor coisa do mundo e que todo mundo devia ser obeso pra usar essa marca X. Porque o que eu vejo por aí são marcas que INCLUEM  o obeso, o gordo ou o que vocês preferirem. Porque eu sou gorda sim, mas tenho o direito a me vestir certo? Bom, de acordo com umas e outras a moda plus size não passa de ilusão e de apologia à obesidade. Quer dizer toda e qualquer marca ou serviço pra um grupo exclusivo é, de acordo com essa pessoa em questão 'apologia'. Bom, isso dito por alguém que tem um blog pessoal de dieta, coisa que devo considerar, seguindo esta mesma lógica apologia à anorexia. CERTO (Valeu pela idéia Paulinha!)???? Voltando à idéia da inclusão, o que eu vejo são lojas que vestem tamanhos que vão além dos magazines populares. Apologia? Não, uma necessidade do mercado. Porque, vamos pensar num outro cenário pra não me chamarem de bitolada, pensa nas pessoas que calçam 44, 45 e precisam de sapatos maiores que os da maioria? Qual o problema em se ter um lugar onde essa pessoa possa comprar seu sapato sem ter que levar porta na cara de vendedor dizendo que AQUI NÃO TEM O SEU TAMANHO? A lógica é a mesma com o gordo. E tem mais: eu sou gorda e posso comprar uma roupa legal pra mim, eu não preciso usar  um saco de batatas porque sou gorda né? Porque isso seria muito A LETRA ESCARLATE - romance em que uma mulher adúltera era obrigada a usar a letra A pra que todo mundo a julgasse. Quer dizer, de acordo com o raciocínio da pessoas eu sou além de obesa, infeliz e NÃO POSSO USAR o que está na moda, porque isso é apologia à obesidade. E se eu aplicar essa lógica da apologia a obesidade vou ter que começar a fechar restaurantes e a parar de vender certos produtos porque eles ENGORDAM e portanto são os carro chefe da minha campanha pró-obesidade. Desde que estou na blogsfera, na fatoesfera - e isso tem quase 10 anos - sempre batí na tecla de que o importante não e ser gordo e nem ser magro. Isso não é uma guerra. Eu não odeio os magros, nem sou infeliz porque não sou um deles. A separação se dá na cabeça das pessoas que não se aceitam como são. Porque seja você magro ou gordo o importante é ser feliz. É nesse ponto que a Moda Plus Size apoia o gordinho: ela nos diz e nos mostra que se você se ama e se aceita como é a moda bem como outros campos tem espaço pra você. Você não precisa ser um pária da sociedade porque é diferente, você não precisa ser excluído. DIVERSIDADE minha gente, essa é a palavra que pipoca em nossas ouvidos nos últimos anos. INCLUSÃO é outra. E não é só pra mim GORDA. É pro negro. Pro homessexual. Pro judeu. Pro deficiente. Pro alto. Agora eu nunca ví nesses anos todos em que eu ví grifes plus size abrindo - e fechando - nenhuma delas dizendo que você DEVE ser gordo (imaginei agora uma cena de uma menina querendo emagrecer e a dona de uma loja plus size brigando com ela pra ficar gorda, HAHAHHHAHHAHAH o quão surreal é isso?) mas que se você é gordo, se optou por isso e é feliz como é, existe todo um mundo pra você. Isso é apologia? Ilusão? Motivo pra todo mundo ficar cagando regra do QUE ACHA? Porque esse é o mal de muita gente que se diz blogueiro. Confundir opinião pessoal com REGRA. Confundir ACHISMO com VERDADE ABSOLUTA. Sem lembrar que não existe verdade absoluta e que por mais que você diga e repita uma coisa, isso não faz dela verdade. Você acha que todo obeso é infeliz? VOCÊ ACHA, o que não necessariamente diz que isso é verdade. Então por favor, você tem direito à sua opinião. Mas eu tenho direito a minha e se elas não coincidirem pode ficar tranquila amiga que eu não vou impôr o meu pensamento. Não tô aqui pra ensinar ninguém a pensar ou a viver. Cada um é responsável pelo próprio caminho. Só lembra que a sua liberdade de sair dizendo o que acha acaba no momento em que eu também tenho o MESMÍSSIMO direito.



E pra quem se pergunta que texto é esse eu digo que não vou linkar nada aqui e nem fiz nenhuma menção direta, simplesmente porque não vou dar ibope nenhum pra quem vem me esculhambar, simples assim. E porque eu não estou interessada em expôr ninguém ao ridículo. nem à esculhambação pública. Só quero colocar pra fora o que penso, nada mais que isso. 


E sim, eu do alto dos meus 126 - ou mais - kilos sou feliz. Tenho altos e baixos como qualquer pessoa, mas aprendí desde cedo que a minha felicidade não pode ser medida na balança. E desafio QUALQUER pessoa a provar que eu não sou. Não que eu precise provar nada pra ninguém. Mas vocês sabem, tem gente que acha que sabe tudo. Mas não tem nada não, vivendo e aprendendo né? Pra essas pessoas o meu abraço bem fofinho e gostoso.

Beijos, Ana Paula.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Inspiração do dia (do mês, ano, década, século...)

Olás pessoal! Bem, eu sou uma fã declarada da Flúvia Lacerda, mas me digam, tem coisa mais linda do que ela ilustrando estas páginas da Vogue Italy???? Adorei! E as fotos são de lá, okay??? 



 
Nesta página vocês conferem além de mais duas imagens uma matéria sobre ela que ficou muito fofa e que elogia bastante Flúvia, mas aviso o conteúdo está em Inglês! Continuamos aqui na torcida para que ela tenha mais e mais sucesso! Beijos, Ana Paula.

sábado, 25 de junho de 2011

Nós Respondemos - Xadrez pra gordinhos

Olá galera eu recebí hoje uma dúvida de um leitor com relação ao xadrez pra gordinhos:

É que esse mes de junho/julho tenho muitas festas tipicas pr ir, sendo que estou em duvida em quannto ao xadrez, tipo tenho uma festa pr ir e estava pensando em uma camisa xadrez vermelha, calça jeans lisa escura e tenis vermelho, um look bem moderno Tenho 1,75 e 19anos ah e sou gordinho rs!!! Será que fica legal? E tenis de cano alto estilo Nike que tá usando agora, fica bacana?  Dúvida do leitor Luan.
Luan, com toda certeza xadrez PODE SIM! Mas vamos à algumas dicas pra usar sem nenhum erro:

  • Prefira o xadrez com peças lisas. Pros homens que querem usar camisa xadrez a calça pode ser lisa e pras mulheres também. No caso de vestido ou saia com meia calça procure uma meia calça também mais lisa, mas o xadrez permite commbinação com algumas aplicações como renda, por exemplo então pode até ser uma meia calça mais detalhada, mas atenção não exagerar. 
  • Quando maior o xadrez maior a sensação de volume portanto se seu intuito é diminuir o volume prefira um xadrez menor.
Vamos ver umas fotos pra inspirar? 

Jô Soares
Nem todas as fotos são de gordinhos porque é difícil de achar!


Calça xadreza também pode!

Fausto Silva
Ronaldo - No caso dele eu abriria um botão da camisa porque ele ficou sem pescoço!


Agora para as meninas: 

Vestido xadrez, ADOOORO!
A linda da Ingrid do Guria de Peso!


Post do blog Mulherão  das camisas da loja Elegance Plus Size.

Eu e Fernanda do Poderosa GG com vestido da Lypse Plus Size no Dia de Modelo  BH.

Com relação ao tênis cano alto eu acho que é um calçado super jovial e acho que deve ser usado sim, mas lembrando que esse tipo de modelo corta a silhueta e achata você um pouquinho, mas eu acho que se você quer usar tem de usar sim, regras podem muito bem serem quebradas certo? Quando a gente está confortável, acho que tudo é válido! Espero ter ajudado! Beijos, Ana Paula.